Atividade antioxidante de extratos de folhas de ora-pro-nóbis (Pereskia aculeata Mill.) usando métodos espectrofotométricos e voltamétricos in vitro

  • Raquel M. F. Sousa Universidade Federal de Uberlândia
  • Camila S. Lira Universidade Federal de Uberlândia
  • Amanda O. Rodrigues Universidade Federal de Uberlândia
  • Sérgio A. L. Morais Universidade Federal de Uberlândia
  • Carla R. A. A. Queiroz Instituto Federal do Triângulo Mineiro
  • Roberto Chang Universidade Federal de Uberlândia
  • Francisco J. T. Aquino Universidade Federal de Uberlândia
  • Rodrigo A. A. Muñoz Universidade Federal de Uberlândia
  • Alberto de Oliveira Universidade Federal de Uberlândia

Abstract

Atualmente tem crescido a busca por plantas como fontes naturais de antioxidantes. Plantas com esta propriedade podem ser utilizadas para melhorar a qualidade de alimentos, seja para fins nutritivos ou de conservação, como também para a prevenção de doenças relacionadas ao aparecimento de radicais livres. A Pereskia aculeata Mill. (Ora-pro-nóbis) é uma espécie da família Cactaceae e suas folhas são consumidas por muitas pessoas. Neste contexto, este trabalho estudou o teor de fenóis totais (método Folin-Ciocalteau) e de proantocianidinas (vanilina sulfúrica), correlacionando-os com a atividade antioxidante (radical DPPH, sistema ï¢-caroteno/ácido linoleico e voltametria por pulso diferencial) de extratos em acetona 80%, etanol 70% e água das folhas da espécie P. aculeata Mill., apresentando o extrato em acetona 80% maior teor de fenóis totais e proantocianidinas. Com relação à atividade antioxidante frente ao radical DPPH, o extrato em acetona 80% se apresentou ligeiramente melhor que o em etanol 70%. A técnica de voltametria por pulso diferencial mostrou que o extrato em acetona 80% apresenta constituintes com maior potencial redutor que o extrato em etanol 70%. Os dados obtidos a partir da voltametria corroboram com os resultados obtidos pelo método tradicional de DPPH. Os extratos em etanol 70% e em água apresentaram melhor atividade antioxidante pelo sistema B-caroteno/ácido linoleico, o que sugere a presença de outra classe de compostos que atuam na inibição do B-caroteno. Portanto, as folhas da espécie Pereskia aculeata podem ser consideradas como fonte potencial de compostos antioxidantes.

Downloads

Download data is not yet available.

Author Biographies

Raquel M. F. Sousa, Universidade Federal de Uberlândia
Doutoranda em Química, Instituto de Química-UFU, Uberlândia, MG, Brasil
Camila S. Lira, Universidade Federal de Uberlândia
Graduada em Química, Instituto de Química-UFU, Uberlândia, MG, Brasil
Amanda O. Rodrigues, Universidade Federal de Uberlândia
Graduada em Química, Instituto de Química-UFU, Uberlândia, MG, Brasil
Sérgio A. L. Morais, Universidade Federal de Uberlândia
Professor de Química, Instituto de Química-UFU, Uberlândia, MG, Brasil
Carla R. A. A. Queiroz, Instituto Federal do Triângulo Mineiro
Professora, Instituto Federal do Triângulo Mineiro-IFTM, Uberlândia, MG, Brasil
Roberto Chang, Universidade Federal de Uberlândia
Professor de Química, Instituto de Química-UFU, Uberlândia, MG, Brasil
Francisco J. T. Aquino, Universidade Federal de Uberlândia
Professor de Química, Instituto de Química-UFU, Uberlândia, MG, Brasil
Rodrigo A. A. Muñoz, Universidade Federal de Uberlândia
Professor de Química, Instituto de Química-UFU, Uberlândia, MG, Brasil
Alberto de Oliveira, Universidade Federal de Uberlândia
Professor de Química, Instituto de Química-UFU, Uberlândia, MG, Brasil
Published
2014-05-08
How to Cite
Sousa, R. M. F., Lira, C. S., Rodrigues, A. O., Morais, S. A. L., Queiroz, C. R. A. A., Chang, R., Aquino, F. J. T., Muñoz, R. A. A., & de Oliveira, A. (2014). Atividade antioxidante de extratos de folhas de ora-pro-nóbis (Pereskia aculeata Mill.) usando métodos espectrofotométricos e voltamétricos in vitro . Bioscience Journal, 30(3). Retrieved from http://www.seer.ufu.br/index.php/biosciencejournal/article/view/19618
Section
Biological Sciences