Distribuição de insetos galhadores em diferentes formações vegetais e paisagens do cerrado brasileiro

  • Walter Santos de Araújo Universidade Federal de Goiás
  • Frederico Augusto Guimarães Guilherme

Abstract

Nesse estudo, testamos os efeitos da altitude, tipo de vegetação, estrutura da paisagem e tipo de matriz ambiental sobre a riqueza de insetos galhadores. Inventários de insetos galhadores foram realizados em 15 fragmentos de cerrado sensu stricto nos estados de DF, GO, MG e TO. Foram amostradas 1882 plantas pertencentes a 131 espécies e 43 famílias vegetais, sendo que 64 espécies (48,8%) e 31 famílias (72,1%) hospedaram galhas. Registramos 112 espécies de insetos galhadores. Vochysiaceae foi a família vegetal que apresentou a maior riqueza de morfoespécies de galhas (19 espécies). A riqueza de galhas não foi correlacionada com a altitude das áreas. Por outro lado, a riqueza de morfotipos foi significativamente influenciada pelo tipo de vegetação, estrutura da paisagem e tipo de matriz ambiental. Nossos resultados apontam que as diferentes configurações espaciais dos fragmentos podem provocar alterações microclimáticas que influenciam a estrutura da vegetação e aumentam as taxas de ocorrência de insetos galhadores. Concluímos que elementos da paisagem podem ser importantes para explicar os padrões de distribuição de insetos galhadores, principalmente com as crescentes alterações das paisagens naturais.

Downloads

Download data is not yet available.
Published
2012-07-13
How to Cite
Araújo, W. S. de, & Guilherme, F. A. G. (2012). Distribuição de insetos galhadores em diferentes formações vegetais e paisagens do cerrado brasileiro . Bioscience Journal, 28(5). Retrieved from http://www.seer.ufu.br/index.php/biosciencejournal/article/view/13962
Section
Biological Sciences