Memória, história e identidade: o caso da “escola uspiana de história”

  • Diego José Fernandes Freire
Palavras-chave: memória, identidade, historiografia brasileira

Resumo

Este artigo discute o texto “A escola uspiana de história”, de Maria Helena Rolim Capelato, Raquel Glezer e Vera Lucia Amaral Ferlini, publicado em 1994 na revista Estudos Avançados, a partir de uma articulação entre memória e identidade. Objetiva-se analisar a maneira como essas três historiadoras uspianas enunciaram uma identidade historiográfica em profunda ligação com uma memória disciplinar e institucional vinculada à Universidade de São Paulo, em especial à Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas. Dividido em três grandes momentos, o trabalho relaciona ainda tal enunciação identitária com a historiografia brasileira das últimas décadas do século passado. Como uma identidade historiográfica uspiana foi produzida, escrita e enunciada? Eis a questão orientadora do artigo.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Diego José Fernandes Freire

Doutorando pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Professor substituto do Departamento de História da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e da Secretaria de Educação e Cultura do Estado do Rio Grande do Norte. Autor do livro Contando o passado, tecendo a saudade: a construção simbólica do engenho açucareiro em José Lins do Rego (1919-1943). João Pessoa: Ideia, 2015. 

Referências

BOSI, Alfredo. Editorial. Estudos Avançados, v. 8, n. 22, São Paulo, 1994.

BOURDIEU, Pierre. Identidade e representação: elementos para uma reflexão crítica sobre a ideia de região. In: O poder simbólico. 5. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2002.

CANDAU, Joel. Memória e identidade. São Paulo: Contexto, 2016.

CAPELATO, Maria Helena Rolim, GLEZER, Raquel e FERLINI, Vera Lucia Amaral. A escola uspiana de história. Estudos Avançados, v. 8, n. 22, São Paulo, 1994.

DERRIDA, Jacques. Espectros de Marx. Rio de Janeiro: Relume-Dumurá, 1994.

FRASER, Nancy. Reconhecimento sem ética? Lua Nova, n. 70, São Paulo, 2007.

GRENDI, Eduardo. Repensar a micro-história? In: REVEL, Jacques. Jogos de escalas: a experiência da microanálise. Rio de Janeiro: Editora GV, 1998.

GUIMARÃES, Manoel Luiz Salgado. Usos da história: refletindo sobre identidade e sentido. História em Revista, v. 6, Pelotas, 2000.

HALL, Stuart. Quem precisa de identidade? In: SILVA, Tomaz Tadeu (org.). Identidade e diferença. Petrópolis: Vozes, 2012.

HUYSSEN, Andreas. Culturas passado-presente: modernismo, artes visuais, políticas da memória. Rio de Janeiro: Contraponto, 2014.

MARCHI, Euclides, BONI, Maria Ignes de, SIQUEIRA, Marcia D. e NADALIN, Sérgio. Trinta anos de historiografia: um exercício de avaliação. Revista Brasileira de História, v. 13, n. 25/26, São Paulo, 1993.

MALERBA, Jurandir. Notas à margem: a crítica historiográfica no Brasil dos anos 1990. Textos de História, v. 10, n. 1 e 2, Brasília, 2002.

MORAES, José Geraldo Vinci de e REGO, José Marcio (orgs.). Conversas com historiadores brasileiros. São Paulo: Editora 34, 2002.

NICOLAZZI, Fernando. História da historiografia e temporalidades: notas sobre tradição e inovação na história intelectual. Almanack, n. 7, Guarulhos, 2014.

NIETZSCHE, Friedrich. Segunda consideração intempestiva. Rio de Janeiro: Relume-Dumará, 2003.

POLLACK, Michel. Memória e identidade social. Estudos Históricos, v. 5, n. 10, Rio de Janeiro, 1992.

POMIAN, Krzysztof. História e ficção. Projeto História, n. 26, São Paulo, 2003.

RAGO, Margareth. A “nova” historiografia brasileira. Revista Anos 90, n. 11, Porto Alegre, 1999.

RODRIGUES, Lidiane Soares. Armadilha à francesa: homens sem profissão. História da Historiografia, n. 11, Ouro Preto-Rio de Janeiro, 2013.

TORGAL, Luís Reis, MENDES, José Amado e CATROGA, Fernando (orgs.). História da história em Portugal, séculos XIX e XX. Coimbra: Temas & Debates, 1998.

Publicado
2019-12-16
Como Citar
Fernandes Freire, D. J. (2019). Memória, história e identidade: o caso da “escola uspiana de história”. Artcultura, 21(39), 139 - 153. https://doi.org/10.14393/artc-v21-n39-2019-52032
Seção
Artigos