A obra do entalhador lisboeta Manuel de Brito na Matriz do Pilar em Ouro Preto

Aziz José de Oliveira Pedrosa

Resumo


Registros históricos balizam a atividade do entalhador Manuel de Brito na produção de dois retábulos da Matriz do Pilar, em Ouro Preto. Acreditase que foi ele o oficial que também faturou, em 1723, o retábulo-mor da igreja lisboeta de São Miguel e que, posteriormente, arrematou serviços de talha na igreja carioca de São Francisco da Penitência. Assim, este texto tem como eixo central o estudo da atuação de Brito no universo da talha luso-brasileira, a delimitação espacial e temporal de seu fazer em Minas Gerais, bem como o exame dos retábulos da Matriz do Pilar em que a documentação especifica seu labor. A partir daí, pretende-se preencher vazios que persistem diante da inexistência de pesquisas e análises acerca das peças retabulares investigadas, em prol de se mensurar a intervenção de Brito e avaliar seu protagonismo na disseminação do repertório joanino na talha colonial setecentista, sobretudo em Minas.

Palavras-chave: Manuel de Brito; Minas Gerais; estilo joanino.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.14393/ArtC-V19n35-2017-2-12