Dias Gomes entre textos e cenas: a construção e a reconstrução de um autor

Kátia Rodrigues Paranhos

Resumo


As balizas temporais que enquadram e classificam as obras de um autor estão associadas a processos de demarcação de seu sentido que se revelam muitas vezes móveis e fugidios. Nessas operações, empreende-se um trabalho de apropriação e reapropriação de seu significado por vezes estranho às intenções que guiaram os autores dessa ou daquela obra. Dias Gomes e sua produção teatral não escaparam, obviamente, a determinadas periodizações e classificações que implicam, no fundo, maneiras de ver e editar que procedem a construções e reconstruções várias, quando não a desconstruções. Neste artigo, pretendo examinar a trajetória do dramaturgo Dias Gomes tendo como referências básicas os textos teatrais e os livros lançados pelas editoras Civilização Brasileira, nos anos 1970, e Bertrand Brasil, na década de 1980.

Palavras-chave: Dias Gomes; autoria; edições.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.14393/ArtC-V19n34-2017-1-09