A administração JK em Belo Horizonte e o diálogo com as artes plásticas e a memória: um laboratório para sua ação nos anos 1950 e 1960.

Marcelo Cedro

Resumo



Este artigo aborda o incentivo da administração
municipal de Juscelino
Kubitschek em Belo Horizonte no que
se refere à cultura, especificamente às
artes plásticas e à memória. Esse empreendimento,
dentre outros, pode ser
considerado como o ponto de partida
de seu projeto governamental que se
estenderia pela década de 1950 e início
da de 1960 à frente dos governos estadual
e federal, amplamente conjugado
com o projeto político-cultural de
modernidade tardia sustentado pelo
Estado Novo.

PALAVRAS-CHAVE: modernidade tardia;
Juscelino Kubitschek; Belo Horizonte.

ABSTRACT


This article approaches the incentive of the
municipal administration of Juscelino
Kubitschek in Belo Horizonte in that if it
relates to the culture, specifically to the
plastic arts and the memory. This
enterprises, amongst others, can be considered
as the beginning of its governmental
project that if would extend along
the decades of 1950 and 1960 the front of
the governments state and federal, widely
were conjugated with the Estado Novo’s
politician-cultural project.

KEYWORDS: late modernity; Juscelino
Kubitschek; Belo Horizonte.

Texto completo:

PDF