As contradições do mundo e a unidade do discurso: filosofia e retórica em Antônio Vieira

  • Admar Almeida da Costa Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ)
Palavras-chave: Retórica, Filosofia e tradição clássica

Resumo

Este trabalho versa sobre a presença do pensamento heraclítico no célebre discurso do Padre jesuíta Antônio Vieira, intitulado “As lágrimas de Heráclito”. Este discurso nasce a pedido da Rainha da Suécia, Cristina Alexandra, recentemente instalada na Itália e fundadora, em 1674, da academia “A Arcádia Romana”, sede do embate retórico-filosófico em torno da seguinte questão: “se o mundo era mais digno de riso ou de lágrimas; e qual dos dois gentios andara mais prudente, se Demócrito, que ria sempre, ou Heráclito, que sempre chorava”. Debatendo com o também jesuíta Jerônimo Catâneo, a quem coube a defesa de Demócrito, Vieira produz um ensaio de forte teor filosófico e de rara beleza literária.

Palavras-chave: Retórica. Filosofia e tradição clássica. 

Data de registro: 21/09/2017

Data de aceite: 14/08/2018

The contradictions of the world and the unity of discourse: philosophy and rhetoric in Antônio Vieira

Abstract:  This work is on the presence of the heraclitic thought in the famous speech by the Jesuit priest Antônio Vieira entitled "The Tears of Heraclitus". This speech was made as a request from the Queen of Sweden, Cristina Alexandra, founder of the academy "The Arcadia Romana" in 1674 recently accommodated in Italy, seat of the rhetorical-philosophical clash on the following matter: Debating with the also Jesuit priest Jerônimo Catâneo, to whom the defense of Democritus fell, Vieira produces an essay of strong philosophical content and rare literary beauty.

Key words: Rhetoric. Philosophy and classical tradition.

Les contradictions du monde et l'unité du discours: philosophie et rhétorique chez Antônio Vieira

Résumé: Cet article traite de la présence de la pensée héraclitéenne dans le fameux discours du jésuite Antônio Vieira intitulé «Les larmes d'Héraclite». Ce discours a été écrit à la demande de la Reine de Suède, Cristina Alexandra, récemment installée en Italie et fondatrice de l'académie "L'Arcadie Romana" en 1674, berceau du conflit entre rhétorique et philosophie sur la question suivante: " le monde est-il plus digne de rire ou de larmes; et lequel des deux Gentils a été plus sage, Démocrite, qui se moquait toujours, ou Héraclite, qui pleurait toujours. Se basant sur une argumentation avec le jésuite Jerônimo Catâneo, qui assure la défense de Démocrite, Vieira produit un essai de fort contenu philosophique et d'une rare beauté littéraire.

Mots clés: La rhétorique. La philosophie et la tradition classique.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ARISTÓTELES. Metafísica. Tradução de Leonel Vallandro. Porto Alegre: Ed. Globo 1969.

______. Ética a Nicômaco. Tradução e notas de Leonel Vallandro e Gerd Bornheim. São Paulo: Abril Cultural, 1973. (Coleção Os Pensadores)

______. Rhetórique. Edição e tradução de Médéric Dufour e André Wartelle. Paris: Les Belles Lettres, 1989.

______. De anima. Edição e tradução de W. David Ross. Oxford: Oxford University Press, 1961.

AUGUSTO, M. G. M., Le sourire du philosophe et le rire du poète: vérité et mechancité au livre V de La République. In: DESCLOS, Marie-Laurence. Le rire des grecs: anthropologie du rire en Grèce Ancienne. Grenoble: Jerôme Millon, 2000. p. 293-308.

BERGE, Damião. O Logos Heraclítico – Introdução ao estudo dos fragmentos. Rio de Janeiro: Instituto Nacional do Livro, 1969. p. 17.

CICERO (106-46 AC): Do sumo bem e do sumo mal. II, 5, 15. Tradução de Carlos Ancêde Nougué. São Paulo: Martins Fontes, 2005.

MARQUES JUNIOR, I. N. O riso segundo Cícero e Quintiliano: tradução e comentários de De oratore, livro II, 216-291 (De ridiculis) e da Institutio Oratoria, Livro VI, 3 (De risu). 2008. 170f. Dissertação (Mestrado em Filosofia, Letras e Ciências Humanas) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade Federal de São Paulo, São Paulo, 2008.

COSTA, A. Acerca da Natureza. Dissertação defendida no Programa de Pós-Graduação em Filosofia da Universidade Federal do Rio de Janeiro, no mês de outubro do ano de 2000.

HERÁCLITO. Fragmentos. Tradução de Emmanuel Carneiro Leão. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1980. (Coleção Diagrama).

HERMANN DIELS; WALTHER KRANZ . I Presocratici – Prima traduzione integrale com testi originali a fronte delle testimonia e dei frammenti nella racoolta di HERMANN DIELS E WALTHER KRANZ. Itália: 2006.

HERÓDOTO. História. Tradução de J. Brito Broca. Rio de Janeiro: Clássicos Jackson INC. 1950 [2 vols].

JUVENAL. Sátiras. Tradução de Francisco Bastos [Prefácio de José Perez]. Ediouro: São Paulo. Sem data.

KIRK, G; RAVEN, J. Os Filósofos Pré-socráticos. Tradução de Carlos A. L. Fonseca, Beatriz R. Barbosa, Maria A. Pegado. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 1990.

LAÉRCIO, Diógenes: Vidas e doutrinas dos filósofos ilustres. Tradução de Mario da Gama Kury. Brasília, UNB, 1988.

MONTAIGNE. Ensaios. Tradução de Sérgio Milliet. São Paulo: Nova Cultural, 1996.

OVÍDIO. Metamorfoses. Tradução de Vera Lúcia Magyar. São Paulo: Madras, 2003

______. A arte de amar. Tradução de Dúnia Marinho da Silva. Porto Alegre: L&PM, 2001.

QUINTILIANO, M. F. L’Instituzione Oratoria. A Cura de Rino Faranda e Piero Pecchiura. Unione Tipografico-Editrice, 2. ed., Torinese: Turin, 2003.

SALOMÃO. As Lágrimas de Heráclito. São Paulo: 34, 2001.

SENECA. Consolação a minha mãe Hélvia/Da tranquilidade da Alma/Medéia. Tradução de G. D. Leoni. São Paulo: Atena, 1955.

VIEIRA, Antônio. Sermoens do P. Antonio Vieyra da Companhia de Iesv, prégador de Sua Alteza: primeyra parte. Dedicada ao Principe, N. S. v. 1, Lisboa: Ioam da Costa, 1679.

______. Sermoens do P. Antonio Vieyra da Companhia de Iesv, prégador de Sua Alteza: segunda parte. Dedicada no panegírico da Rainha Santa ao Sereníssimo Nome da Princesa N.S.D. Isabel. v. 2, Lisboa: Miguel Deslandes, 1682.

______. Sermoens do P. Antonio Vieyra da Companhia de Iesv, prégador de Sua Alteza: terceira parte. v. 3, Lisboa: Miguel Deslandes, 1683.

______. Sermoens do P. Antonio Vieyra da Companhia de Iesv, prégador de Sua Alteza: quarta parte. v. 4, Lisboa: Miguel Deslandes, 1685.

______. Sermoens, e varios discursos do Padre Antonio Vieyra da Companhia de Jesu , prégador de sua magestade. tomo XIV obra posthuma dedicada a' purissima conceiçam da Virgem Maria Nossa Senhora. Lisboa: Valentim da Costa Deslandes, 1710.

VIRGÍLIO. Eneida. Tradução e notas de Odorico Mendes. Campinas: Ateliê Editorial e Ed. UNICAMP. 2005.

Publicado
2018-08-30
Como Citar
Costa, A. A. da. (2018). As contradições do mundo e a unidade do discurso: filosofia e retórica em Antônio Vieira. EDUCAÇÃO E FILOSOFIA, 32(65). https://doi.org/10.14393/REVEDFIL.issn.0102-6801.v32n65a2018-01
Seção
Artigos