Júlia ou a Nova Heloísa: entre a literatura e a filosofia

  • Chirley Domingues Universidade do Sul de Santa Catarina (UNISUL)
Palavras-chave: Sensível e inteligível, Literatura, Filosofia

Resumo

O trabalho tem por objetivo apresentar uma análise da obra Júlia ou a Nova Heloísa, de Jean Jacques Rousseau. A ênfase da referida análise é sobre a linguagem do texto selecionado. A proposta é encontrar na urdidura do texto como se dá a "costura" entre o dito e o sugerido, evidenciando, assim, o potencial da linguagem usada. A riqueza da linguagem literária e metafórica de Rousseau indica um interessante caminho para desenvolver o trabalho. A escolha pelo romance justifica-se por ser uma obra que transita entre a literatura e a filosofia, mas cujas fronteiras desaparecem e "se tornam espaços imbricados internamente" (MATTOS, 2008, P. 12). É neste sentido que Fúlvia Moretto define a referida obra como "o romance do pensamento de Rousseau". Dessa forma, Júlia ou a Nova Heloísa nos permite alcançar uma leitura que não se limita ao inteligível, mas nos leva a uma experiência sensível.

Palavras-Chave: Sensível e inteligível. Literatura. Filosofia. 

Data de registro: 06/08/2017

Data de aceite: 21/02/2018

Julie, or the New Heloise: between literature and philosophy

Abstract: The present work aims at presenting an analysis of the novel Julie, or the New Heloise, by Jean Jacques Rousseau. The emphasis of the analysis is on the language of the selected text. The objective is to find, in the fabric of the text, how what is said and what is suggested are interwoven, highlighting, therefore, the potential of the language employed. The richness of the literary (and metaphorical by extension) language indicated me an interesting pathway to develop the abovementioned study. The choice of the novel lies on the observation that the piece transits between literature and philosophy, but its borders disappear and "become internally intricate spaces" (MATTOS, 2008, P.12). In this sense, Fúlvia Moretto defines the piece as "Rousseau's novel of thought". Thus, Julie, or the New Heloise allows me to achieve a reading that is not limited to the intelligible, but which takes me through a sensory experience. 

Keywords: Philosophy and education. Literature. Sensory and intelligible.

Julie ou la Nouvelle Héloïse: entre la littérature et la philosophie

Résumé: Le travail a pour objectif de développer une analyse de Julie ou la Nouvelle Héloïse, de Rousseau. L'analyse se concentre sur le language du texte. La proposition consiste à rechercher la manière dont se produit l'assemblage entre ce qui est dit et ce qui est suggéré, mettant ainsi en évidence le potentiel du language utilisé. La richesse du language littéraire et métaphorique de Rousseau, nous suggère une direction intéressante. Le choix de ce roman a été réalisé en raison de sa nature d'oeuvre transitant entre littérature et philosophie, dont les fronteires disparaissent et « deviennent des espaces imbriqués de manière interne » (MATTOS, 2008, p.12). C'est dans cette direction que Moretto à definir cette oeuvre comme « le roman de la pensée de Rousseau ». L'oeuvre nous permet d'atteindre un niveau de lecture qui ne se limite pas à ce qui est intelligible mais nous amène à une expérience sensible.

Mots-clés: Philosophie et éducation. Littérature. Sensible et intelligible.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Chirley Domingues, Universidade do Sul de Santa Catarina (UNISUL)

Doutora em Educação pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Professora do curso de Pedagogia da Unisul e coordenadora do Programa de Línguas da Universidade do Sul de Santa Catarina (UNISUL).

Referências

BETTO, Frei. Pós-modernidade e novos paradigmas. In: Ethos Reflexões. Ano 1, n .3, nov.2000. Disponível em: http://www1.ethos.org.br/EthosWeb/arquivo/0-A-891reflexao%2003.pdf. Acesso em 10 de agosto de 2014.

CANDIDO, Antonio. O Direito à Literatura. In: Vários Escritos. São Paulo/Rio de Janeiro: Duas Cidades/Ouro sobre azul, 2004.

COSSON, Rildo. Letramento literário: teoria e prática. 1. Ed. 3ª reimpressão. São Paulo: Contexto, 2009.

DOZOL, Marlene. Jean-Jacques Rousseau: pelas margens. In: Cadernos de Educação. Pelotas, nº 41, 2012, p. 122-133. Disponível em: http://periodicos.ufpel.edu.br/ojs2/index.php/caduc/article/view/2095. Acesso em: 28 de setembro de 2014.

_______. Jean-Jacques Rousseau por entre filosofia da educação e imagens literárias. In: Cadernos de Ética e Filosofia Política, nº 21, 2012, p. 137-145. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/cefp/article/view/56557. Acesso em: 10 de setembro de 2014.

ECO, Umberto. Seis Passeios pelos Bosques da Ficção. Tradução: Hildegard Feist. 8ª Reimpressão. São Paulo: Companhia das Letras, 2004.

_______. Sobre a Literatura. Tradução: Eliana Aguiar. Rio de Janeiro/ São Paulo: Editora Reccord, 2003.

GERALDI, João Vanderley. A leitura e suas múltiplas faces. In: A aula como acontecimento. São Carlos: Pedro&João Editores, 2010.

LARROSA, Jorge Bondía. Notas sobre a experiência e o saber da experiência. In: Revista Brasileira de Educação. ANPED. N.19. Rio de Janeiro: ANPED: Autores Associados, jan/fev/mar/abr. 2002, p. 20-28. https://doi.org/10.1590/S1413-24782002000100003

LISPECTOR, Clarice. A hora da estrela. Rio de Janeiro: Rocco, 1998.

MATTOS, Franklin de. A força da linguagem e a linguagem da força. In: PRADO JR., Bento. A Retórica de Rousseau e outros ensaios. Organização e Apresentação Franklin de Mattos. São Paulo: Cosac Naify, 2008.

MORETTO, Fulvia M. L. Introdução. In: ROUSSEAU, Jean-Jacques. Júlia ou a Nova Heloísa. Tradução: Fúlvia Moretto. São Paulo: Hucitec; Campinas: Editora da Unicamp, 1994.

ROUSSEAU, Jean-Jacques. Júlia ou a Nova Heloísa. Tradução: Fúlvia Moretto. São Paulo: Hucitec; Campinas: Editora da Unicamp, 1994.

SILVA, Eduardo Caldas. Formação estética em Rousseau e o cultivo da natureza. 2011. 165p. Dissertação. (Mestrado em Educação) - Centro de Educação, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis.

SCHULLER, Donaldo. A Caverna: Sair ou Permanecer? In: Platão. O Banquete. Tradução, notas e comentários Donald Schuller. Porto Alegre, RS: L&PM, 2012.

VEIGA-NETO, Alfredo. Literatura, Experiência e Formação. Entrevista com Jorge Larrosa. In: COSTA, Marisa Vorraber. Caminhos Investigativos 1: novos olhares na pesquisa em educação. 3. Ed. Rio de Janeiro: Lamparina editora, 2007.

Publicado
2018-12-21
Como Citar
Domingues, C. (2018). Júlia ou a Nova Heloísa: entre a literatura e a filosofia. EDUCAÇÃO E FILOSOFIA, 32(66). https://doi.org/10.14393/REVEDFIL.issn.0102-6801.v32n66a2018-08
Seção
Artigos