Os Diagramas de Venn como recurso filosófico no Jardim de Infância

Magda Costa Carvalho, Ana Isabel Santos, Renata Sequeira

Resumo


* Doutora em Filosofia e Especialista em Filosofia para Crianças, Membros do Núcleo Interdisciplinar da Criança e do Adolescente, Universidade dos Açores; Membro do Instituto de Filosofia da Nova; docente da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da UAc. Diretora do Mestrado em Filosofia para Crianças da Universidade dos Açores.

** Doutora em Educação, especialidade em Metodologia do Ensino da Língua Portuguesa, pela Universidade dos Açores. Professora Auxiliar e Diretora do Mestrado em Educação Pré-Escolar e Ensino do 1º Ciclo do Ensino Básico na Universidade de Açores.
*** Doutora em Filosofia e Pós-Graduada em Filosofia para Crianças, pela Universidade dos Açores. Pertence ao Núcleo Interdisciplinar da Criança e do Adolescente, Universidade dos Açores.

Apoio: Núcleo Interdisciplinar da Criança e do Adolescente, da Universidade dos Açores; Câmara Municipal de Mação, Portugal.

Os Diagramas de Venn como recurso filosófico no Jardim de Infância

Resumo: Esta investigação insere-se no âmbito científico e pedagógico da Filosofia para Crianças, mais especificamente na sua prática com pessoas em idade pré-escolar. Pretendeu-se investigar o tipo de resposta de uma comunidade de investigação filosófica, modelo pedagógico e epistemológico da Filosofia para Crianças, a alguns problemas lógicos cuja resolução envolveu o recurso a Diagramas de Venn. Explorou-se especificamente a formação de conjuntos com intersecção e concluiu-se pela exequibilidade deste recurso lógico no âmbito da educação pré-escolar, bem como pela sua relevância em termos de formação do pensamento.

Palavras-chave: Filosofia para crianças. Pré-escolar. Diagramas de Venn. Interseção.

Venn Diagrams as a philosophical resource in kindergarten

Abstract: This research lies within the scientific and pedagogic scope of Philosophy for Children, more specifically its implementation in a community of philosophical inquiry, the pedagogic and epistemological model of the Philosophy for Children, with pre-school children. The purpose was to research the type of answer this community of inquiry would give to some logic problems by resorting to Venn Diagrams. Specifically, the observation of problem-solving through the intersection of sets was under scrutiny, and the conclusion was that this logic resource is not only viable in the context of pre-schooling, as well as relevant for the formation of thinking.

Keywords: Philosophy for children. Pre-school. Venn diagrams. Intersection.

Los Diagramas de Venn encuanto recurso filosófico en la Educación Infantil

Resumen: Esta investigación se insiere en el ámbito científico y pedagógico de la Filosofía para Niños, más concretamente en su práctica con personas en edad preescolar. Se pretendió investigar el tipo de respuesta de una comunidad de investigación filosófica, modelo pedagógico y epistemológico de la Filosofía para Niños, a algunos problemas lógicos cuya resolución envolvió el recurso a los Diagramas de Venn. Se exploró concretamente la formación de conjuntos con intersección y se concluyó que este es un recurso exequible en la educación infantil, también por su importancia en términos de la formación del pensamiento.

Palabras clave: Filosofía para niños. Educación preescolar. Diagramas de Venn. Intersección.

Data de registro: 08/02/2017

Data de aceite: 20/09/2017

Referências

BOE, M.; HOGNESTAD, K. Critical thinking in kindergarten, Chil­hood & Philosophy, v. 6, n. 11, p. 151-165, 2010.

BRUNER, J. Needed: a theory of instruction. Educational Leadership, v. 20, n. 8, p. 523-532, 1963.

COSTELLO, P. Philosophy in children’s literature. Lanham: Lexington Books, 2011.

CRUZ, A.; FERNANDES, M. Barafunda. Um diálogo filosófico sobre as muitas maneiras de arrumar o mundo. Lisboa: Caminho, 2015.

DANIEL, M. F. Epistemological and educational presuppositions of P4C: from critical dialogue to dialogical critical thinking, Gifted Edu­cation International, v. 22, n. 2; 3, p. 135-147, 2007.

______. Pressupostos filosóficos e pedagógicos de Mattew Lipman e suas aplicações. In: LELEUX, C. et al. Filosofia para crianças. O mo­delo e Matthew Lipman em discussão. Porto Alegre: Artmed, 2008. p. 31-52,

______. To introduce critical thinking and dialogue in preschool. In: BUTLER, C. (Dir.). Child rights. The movement, international law and opposition, West Lafayette: Purdue University Press, 2012. p. 73-95.

______.; DELSOL, A. Learning to dialogue in kindergarten: a case study, Analytic Teaching, v. 25, n. 3, p. 23-52, 2005.

______.; GAGNON, M. A developmental model of dialogical critical thinking in groups of pupils aged 4 to 12 years, Creative Education, v. 2, n. 5, p. 418-428, 2011. https://doi.org/10.4236/ce.2011.25061

______.; PETTIER, J. C.; AURIAC, E. The incidence of philosophy on discursive and language competencies of pupils aged four years, Cre­ative Education, v. 2, n. 3, p. 296-304, 2011. https://doi.org/10.4236/ ce.2011.23041

GÓMEZ, G. R.; FLORES, J. G.; JIMÉNEZ, E. G. Metodología de la investigación cualitativa. Málaga: Ediciones Aljibe, 1999.

LIPMAN, M. The contributions of philosophy to deliberative democra­cy. Teaching philosophy on the eve of the twenty-first century. Ankara: International Federation of Philosophical Societies, 1998. p. 6-29.

______. Thinking in education, Cambridge: Cambridge University Press, 2003. https://doi.org/10.1017/CBO9780511840272

______.; GARCÍA MORIYÓN, F. Mathew Lipman: una biografía in­telectual, HASER. Revista Internacional de Filosofía Aplicada, v. 2, p. 177-200. 2011.

MENDONÇA, D.; LOURENÇO, M. J. “Brincar a pensar – filosofía para crianças no pré-escolar”, Cadernos de educação de infância, v. 93, maio/ago. p. 48-49. 2011.

MIRANDA ALONSO, T. Acción comunicativa y proceso educativo: J. Habermas y M. Lipman, Revista de la Facultad de Educación de Alba­cete, v. 5, p. 33-46. 1991.

MURRIS, K. Philosophy with preliterate children, Thinking, v. 14, n. 4, p. 23-33. 1999. https://doi.org/10.5840/thinking19991445

NOLT, JOHN; ROHATYN, D. Lógica, Rio de Janeiro: Editora Mc­Graw-Hill, p. 206-236, 1991.

SANTOS, C. P.; TEIXEIRA, R. C. (2015). Matemática na educação pré-escolar: esquema todo-partes, Jornal das Primeiras Matemáticas, 4: 54-70.

SHARP, A. M. The aesthetic dimension of the community of inquity. Inquiry: Critical Thinking Across the Disciplines, v. 17, n. 1, p. 67-77, 1997. https://doi.org/10.5840/inquiryctnews199717122

______. What is a ‘community of inquiry’? Journal of Moral Education, v. 16 n. 1, p. 37-44. 1987. https://doi.org/10.1080/0305724870160104

SPLITTER, L.; SHARP, A. M. Teaching for better thinking. The class­room community of inquiry, Melbourne: Acer. 1995. 


Palavras-chave


Filosofia para crianças. Pré-escolar. Diagramas de Venn. Interseção.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.14393/REVEDFIL.issn.0102-6801.v31n62a2017-p727a750

Direitos autorais 2017 Magda Costa Carvalho, Ana Isabel Santos, Renata Sequeira

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

   


Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

ISSN Impresso: 0102-6801  e  ISSN Eletrônico: 1982-596X

Revista Qualis A2 em Educação e  B1 em Filosofia, ano base de 2015.

Associada às bases de dados: Repertoire Bibliographique dela Philosophie, The Philosopher’s Index, CIAFIC, SHS/DC, IRESIE, LATINDEX,  Refdoc, Biblioteca Brasileira de Educação, Sumários de Revistas Brasileiras, DIADORIM, EDUC@, PhilPapers Journal.

  

 

A Revista Educação e Filosofia está vinculada a: 

 

Atribuição de Registro DOI: