A cultura local e as interfaces com a memória entre pomeranos na Serra dos Tapes, Rio Grande do Sul

  • Patricia Weiduschadt Universidade Federal de Pelotas
  • Vânia Grim Thies Universidade Federal de Peltoas
  • Carmo Thum Universidade Federal do Rio Grande
Palavras-chave: Memória, Pomeranos, Roda de diálogo, Cultura local

Resumo

Este artigo busca compreender a cultura local do povo pomerano por meio da análise de blocos temáticos derivados da metodologia da roda de diálogo. Com ações articuladas via programas de extensão e pesquisa, foram coletados dados nas comunidades da região meridional do Rio Grande do Sul, especificamente nos municípios de Canguçu e São Lourenço do Sul. Através da formação pedagógica de duas escolas municipais, foi possível construir seis blocos temáticos, dois dos quais são analisados neste artigo: os costumes representados pelas festividades e o mundo da educação (da casa, da escola e da igreja). Este trabalho, ancorado nos conceitos de memória (HALBWACHS, 1990; BOSI, 1987; CANDAU, 2014) e de campo (BOURDIEU, 1996), possibilitou depreender que a memória do grupo pomerano é construída coletivamente e que o campo religioso, tanto o oficial quanto o popular (BRANDÃO, 2004), orientou as diferentes manifestações culturais desse povo.

Palavras-chave: Memória. Pomeranos. Roda de diálogo. Cultura local. 

Data de registro: 09/05/2016

Data de aceite: 14/09/2017

Local culture and interface with memory among pomeranians in Serra dos Tapes, state of Rio Grande do Sul

Abstract: This paper aims to understand the local culture of Pomeranians through the analysis of thematic blocks derived from dialogue circle methodology. With actions coordinated through extension and research programs, data were collected in the communities of the southern region of the state of Rio Grande do Sul, specifically in the municipalities of Canguçu and São Lourenço do Sul. Through educational training of two municipal schools, it was possible to build six thematic blocks, two analyzed in this paper: the customs represented by festivities and the world of education (home, school and church). This work, anchored in the concepts of memory (HALBWACHS, 1990; BOSI, 1987; CANDAU, 2014) and field (BOURDIEU 1996), allowed to infer that the memory of Pomeranians is collectively constructed and that the religious field, both official and popular (Brandão, 2004), guided different cultural expressions of these people.

Keywords: Memory. Pomeranians. Dialogue circle. Local culture.

La cultura local y las interfaces con la memoria entre pomeranos en la Sierra de los Tapes, Rio Grande del Sur

Resumen: Este artículo busca comprender la cultura local del pueblo pomerano por medio del análisis de bloques temáticos derivados de la metodología de la rueda de diálogo. Con acciones articuladas por medio de programas de extensión e investigación, se recogieron datos en las comunidades de la región meridional de Rio Grande do Sul, específicamente en los municipios de Canguçu y São Lourenço del Sur. A través de la formación pedagógica de dos escuelas municipales, fue posible construir seis bloques temáticos, dos de los cuales se analizan en este artículo: las costumbres representadas por las festividades y el mundo de la educación (de la casa, de la escuela y de la iglesia). Este trabajo, anclado en los conceptos de memoria (HALBWACHS, 1990; BOSI, 1987; CANDAU, 2014) y de campo (BOURDIEU, 1996), posibilitó deducir que la memoria del grupo pomerano es construida colectivamente y que el campo religioso, tanto el oficial, como el popular (BRANDÃO, 2004), orientó las diferentes manifestaciones culturales de ese pueblo.

Palabras clave: Memoria. Pomeranos. Rueda de diálogo. Cultura local.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Patricia Weiduschadt, Universidade Federal de Pelotas
Doutora em Educação. Professora Efetiva do Departamento de Fundamentos da Educação, da Faculdade de Educação, Universidade Federal de Pelotas.
Vânia Grim Thies, Universidade Federal de Peltoas
Doutora em Educação pela Faculdade de Educação da Universidade Federal de Pelotas. Professora da Faculdade de Educação,  Universidade Federal de Pelotas.
Carmo Thum, Universidade Federal do Rio Grande
Doutor em Educação pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS). Professor do Instituto de Educação da Universidade Federal do Rio Grande - FURG

Referências

ANDERSON, Benedict. Comunidade Imaginadas: reflexões sobre a origem e a difusão do nacionalismo. São Paulo: Companhia das Letras, 2008.

ARENDT, Isabel Cristina. Representações de germanidade, escola e professor no Allgemeine Leherzeitung fuer Rio Grande do Sul (Jornal Geral para o Professor do Rio Grande do Sul). 271f. 2005. Tese (Doutorado em História) – Programa de Pós-graduação em História, Universidade do Vale dos Sinos, São Leopoldo, 2005.

ARROYO, M. G.; CALDART, R. S.; MOLINA, M. C. Por uma Educação do Campo. Petrópolis: Editora Vozes, 2004.

BAHIA, Joana. O tiro da bruxa: identidade, magia e religião na imigração alemã. Rio de Janeiro: Garamond, 2011.

BARTH, Frederik. Grupos Étnicos e suas fronteiras. In: POUTIGNAT, Philippe; STREIFF-FENART, Jocelyne. Teorias da Etinicidade. São Paulo: Unesp, 2011.

BRASIL. Decreto nº. 6.040 de 07 de fevereiro de 2007. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2007/decreto/d6040.htm>. Acesso em: 20 mar. 2017.

BRASIL. Decreto nº. 8.750, de 9 de maio de 2016. Institui o Conselho Nacional dos Povos e Comunidades Tradicionais. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2015-2018/2016/Decreto/D8750.htm#art20>. Acesso em: 16 junho 2017.

BOSI, Ecléa. Memória e Sociedade lembrança de velhos. 2. ed., São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo: 1987.

BOURDIEU, Pierre. Razões Práticas sobre a teoria da ação. Campinas: Papirus, 1996

_________ O Poder Simbólico. Lisboa: Difel, Bertrand Brasil, 1989.

BRANDÃO, Carlos Rodrigues. “Casa de Escola”: cultura camponesa e educação rural. Campinas: Papirus, 1983.

________. Pesquisa participante. 5.ed., São Paulo: Brasiliense, 1985.

________. Fronteira da fé: alguns sistemas de sentido, crenças e religiões no Brasil de hoje. Estudos Avançados, v. 18, n. 52, 2004. p. 261-287. https://doi.org/10.1590/S0103-40142004000300017

________. Carlos Rodrigues. No Rancho Fundo. Espaços e tempos no mundo rural. Uberlândia: EDUFU, 2009. https://doi.org/10.14393/EDUFU-978-85-7078-169-7

CANDAU, Joel. Memória e Identidade. São Paulo: Contexto, 2014.

CAPORAL, F. R.; COSTABEBER, J. A. Agroecologia: aproximando conceitos com a noção de sustentabilidade. In: RUSCHEINSKY, A. (Org.). Sustentabilidade: uma paixão em movimento. Porto Alegre: Ed. Sulina, 2004. p. 46-61.

CUETO, Amâncio Jr. Os corais luteranos na obra de Bach. Disponível em: <http://euterpe.blog.br/historia-da-musica/os-corais-luteranos-na-obra-de-bach>. Acesso em: 24 de outubro de 2014.

DREHER, Martin N. Notas para uma História da Educação Protestante no Brasil. Estudos Leopoldenses. v. 4, n. 6, p. 133-150, 2000.

FÉLIX, Loiva Otero. História e Memória: a problemática da pesquisa. Passo Fundo: EDIUPF, 1998.

FERNANDES, Bernardo Mançano. Os campos da pesquisa em educação do campo: espaço e território como categorias essenciais. In: MOLINA, Mônica. A pesquisa em Educação do Campo. Brasília: Programa Nacional de Educação na Reforma Agrária, 2006. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/secad/arquivos/pdf/educacaodocampo/artigo_bernardo.pdf>. Acesso em: 17 fev. 2015.

GRANZOW, Klaus. Pomeranos sob o Cruzeiro do Sul: colonos alemães no Brasil. Vitória: Arquivo Público do Estado do Espírito Santo, 2009.

HALBWACHS, Maurice. A Memória Coletiva. São Paulo: Vértice; Editora Revista dos Tribunais, 1990.

HAMMES, Edilberto Luiz. A imigração alemã para São Lourenço do Sul: da formação da sua colônia aos primeiros anos após seu Sesquicentenário. São Leopoldo: Studio Zeus, 2014.

HOBSBAWN, Eric. A Invenção das Tradições. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2014.

JULIA, Dominique. A cultura escolar como objeto histórico. Revista Brasileira de História da Educação, n. 1, jan./jul., 2001.

KREUTZ, Lúcio. Professor Paroquial: magistério e imigração alemã. Pelotas: Seiva, 2004.

KRONE, Evander Eloí; MENASCHE, Renata. Festa e comida típica: o uso ideológico da tradição alimentar pomerana na afirmação de fronteiras étnicas. In: SEMINÁRIO SOBRE ALIMENTOS E MANIFESTAÇÕES CULTURAIS TRADICIONAIS, 2., 2014, Aracaju. Anais... Aracaju, 2014.

MULHALL, Michael George. O Rio Grande do Sul e suas colônias alemãs: 1836-1900. Porto Alegre: Bels, 1974.

PORTELLI, Alessandro. Sonhos ucrônicos, memórias e possíveis mundos dos trabalhadores. Projeto História. São Paulo, n. 10, p. 41-58, Dez. 1993.

RADLEY, Alan. Artefactos, memória y sentido Del passado. MIDDLETON, David; EDWARDS, Derek. Memória compartida: la natureza social del recuerdo y del olvido. Buenos Aires: Piados, 1992.

RAMBO, Arthur Blásio. O teuto-brasileiro e sua identidade. In: FIORI, Neide Almeida (Org.). Etnia e educação: a escola alemã do Brasil e estudos congêneres. Florianópolis: UFSC; Unisul, 2003, p. 71-89.

ROCHE, Jean. A colonização alemã e o Rio Grande do Sul. Porto Alegre: Globo, 1969.

SEYFERTH, Giralda. Campesinato e o Estado no Brasil. Mana. v. 17, n. 2, p. 395-417, 2011. https://doi.org/10.1590/S0104-93132011000200006

STORCH, Leticia Sell; THIES, Vania Grim. Lembranças de batismo: a cultura escrita em três gerações de uma família pomerana. In: ENCONTRO SUL-RIO-GRANDENSE DE PESQUISADORES EM HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO - HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO E POLÍTICAS EDUCACIONAIS: 20 ANOS DA LEI DE DIRETRIZES E BASES DA EDUCAÇÃO BRASILEIRA, 22,. 2016, Bagé. Anais 2016.. Bagé: ASPHE/UNIPAMPA, 2016. v. 01. p. 769-782.

THUM, Carmo. Povos e Comunidades Tradicionais: aspectos históricos, conceituais e estratégias de visibilidade. Rev. Eletrônica Mestr. Educ. Ambiente. Edição especial XIX Fórum de Estudos: Leituras de Paulo Freire, p. 162-179, junho, 2017. https://doi.org/10.14295/remea.v0i0.6899

_____. Educação, História e Memória: silêncios e reinvenções pomeranas na Serra dos Tapes. 384f. 2009. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade do Vale dos Sinos, São Leopoldo, 2005.

TEICHMANN, Eliseu. Imigração e Igreja: As comunidades Livres no Contexto da Estruturação do Luteranismo no Rio Grande do Sul. 1996. Dissertação (Mestrado em História) – Instituto Ecumênico de Pós Graduação, São Leopoldo, 1996.

VIÑAO FRAGO, Antonio. Historia de laeducación e historia cultural: posibilidades, problemas, cuestiones. Revista de Educación. Madrid, n. 306, p. 245-269, 1995. Disponível em: . Acesso em: 09 jul. 2015.

WEIDUSCHADT, Patrícia. O Sínodo de Missouri e a educação pomerana em Pelotas e São Lourenço do Sul nas primeiras décadas do século XX- identidade e cultura escolar. 259f. 2007. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, 2007.

______. O Lazer e a construção da identidade numa comunidade rural de descendentes germânicos em Pelotas. 2004. Monografia (Especialização em Educação) - Instituto de Ciências Humanas, Departamento de Antropologia, Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, 2004.

WOODWARD, Kathryn. Identidade e Diferença: uma introdução teórica e conceitual. In: SILVA, Tomaz T. (Org.). Identidade e Diferença: a perspectiva dos estudos culturais. Petrópolis: Vozes, 2000. p. 103-133.

Publicado
2018-08-30
Como Citar
Weiduschadt, P., Thies, V. G., & Thum, C. (2018). A cultura local e as interfaces com a memória entre pomeranos na Serra dos Tapes, Rio Grande do Sul. EDUCAÇÃO E FILOSOFIA, 32(65). https://doi.org/10.14393/REVEDFIL.issn.0102-6801.v32n65a2018-03
Seção
Artigos