Note su linguaggio, lingua e politica in Dante. Una lettura gramsciana

Rocco Lacorte

Resumo


*Doutor em Educação pela Universidade Federal Fluminense (UFF). Professor Substituto na Universidade de Brasília (UnB).

Note su linguaggio, lingua e politica in Dante. Una lettura gramsciana

Sommario: Sulla base della concezione gramsciana dell'intreccio tra lingua e politica si vogliono qui avanzare sia alcune considerazioni per una impostazione di una interpretazione della teoria linguistica di Dante, quale espressione delle innovazioni sociali e politiche del suo tempo, sia illuminare alcune conseguenze filologiche che esse possono avere rispetto ai testi esaminati. Nel De vulgari eloquentia, si può assistere a una delle forme più eminenti di reazione del poeta fiorentino allo sfacelo dell’unità politica della penisola italica e alla disintegrazione delle classi economiche e politiche formatesi dopo il Mille coi Comuni. Ciò si fa matura e altissima consapevolezza proprio attraverso la nuova impostazione dantesca della questione della lingua e della sua teoria corrispondente, nel crescente snodarsi critico e autocritico testimoniato dal percorso che va dal Convivio alla Commedia, attraverso il De vulgari eloquentia.

Parole chiave: Dante. Linguaggio.. Politica. De vulgari eloquentia. Convivio. Commedia.

Apotamentos sobre linguagem, língua e política em Dante. Uma leitura gramsciana

Resumo: Com base no conceito gramsciano do entrelaçamento entre linguagem e política, e em tensão dialética com as ideias de prestigiosos intelectuais e críticos da obra de Dante, são aqui avançadas tanto algumas considerações para uma interpretação da teoria linguística de Dante que seja expressão das inovações sociais e políticas de seu tempo, tanto para iluminar algumas das consequências filológicas que elas podem ter em relação aos textos examinados. O De vulgaris eloquentia é testemunha de uma das formas mais importantes de reação do poeta de Florência ao colapso e fragmentação da unidade política da península italiana e da desintegração das classes econômicas e políticas que se formaram após o ano Mil com as Comunas. Isto torna-se consciência madura e altíssima precisamente pela nova colocação Dantiana da questão da língua e de sua teoria correspondente, ao desdobrá-la pelo seu caminho crítico e auto-crítico do no crescimento do desenvolvimento crítico e auto-crítico testemunhado pelo caminho que vai do Convivio a Commedia, através do De vulgaris eloquentia.

Palavras-chave: Dante. Línguagem. Política. De vulgari eloquentia. Convivio. Commedia.

Notes on language and politics in Dante. A gramscian reading

Abstract: Starting from Antonio Gramsci's conception of the relationship between language and politics and dialectically challenging the ideas of some important intellectuals and critics of Dante's work, I intend to put forward both some considerations for laying an alternative interpretation of Dante's linguistic theory, taken as an expression of the social and political innovations of his times, and illuminate some filological implications that these considerations can have in relation to the texts I am going to examine. In the De vulgari eloquentia, one can see one of the most eminent forms of Dante's reaction against the disruption of the political unity of the Italian peninsula and the disintegration of the groups that came to light after the XIth Century A.C. This reaction turns into the highest form of awareness throughout Dante's development of the question of language and its correspondent theory. The movement of this growing awareness becomes more and more visible along the path that (self-)critically connects the Convivio to the Comedy, through the De vulgari.

Keywords: Dante. Language. Politics. De vulgari eloquentia. Convivium. Commedy.

Data de registro: 09/02/2016

Data de aceite: 19/04/2017

Bibliografie

ALIGHIERI, D. Convivio. In: Opere complete. Firenze: Sansoni, 1965a.

_____. De vulgari eloquentia. In: Ibidem,1965b.

_____. Divina Commedia.In: Ibidem, 1965c.

CALVINO, I. Perché leggere i classici. Milano: Mondadori, 1991.

_____. Saggi 1945-1985. BARENGHI, M. (Org.). Milano, Mondadori, 1995.

CORTI, M. Percorsi dell’invenzione. Torino: Einaudi, 1993.

GARIN, E. Storia della filosofia italiana. Torino: Einaudi, 1966.

GILSON, E. “Poesie et teologie dans la 'Divine Commedie'”, in Atti del congresso internazionale di studi danteschi (Firenze, 20-27 aprile 1965), pp. 197-223.

GRAMSCI, A. Lettere dal carcere. CAPRIOGLIO, S.; FUBINI, E. (Orgs.). Torino: Einaudi, 1965.

_____.  Letteratura e vita nazionale, Roma: Editori Riuniti, 1975.

_____. Quaderni del carcere. GERRATANA, V. (Org.). Torino: Einaudi, 1975.

GUICCIARDINI, Ricordi. Milano: Garzanti, 1984.

LACORTE, C., CUBEDDU, I., BARATTA, G. (Orgs.). Storia antologica dei problemi filosofici, SPIRITO, U. (diretta da). Vol. 1. Firenze: Sansoni, 1965-1968.

LACORTE, R. “Sobre alguns aspectos da 'tradutibilidade' nos Cadernos do cárcere de Antonio Gramsci e algumas das suas implicações”. Uberlândia: Revista Educação e Filosofia, p. 59 - 98, 2014.

_____. “Espressione e traducibilità nei Quaderni del carcere”. In: DURANTE, L.; LIGUORI, G. (Orgs.). Domande dal presente. Studi su Grasmci. Roma: Carocci, 2012.

MALATO, E. (Org.). Storia della letteratura italiana, vol. I. Dalle Origini a Dante. Roma: Salerno Editrice, 1995.

_____.  Dante. Roma: Salerno Editrice, 1999.

NARDI, B. Dante e la cultura medievale. Bari: Laterza, 1942.

PASOLINI, P. Empirismo Eretico. Milano: Garzanti, 1972.

VASOLI, C. La filosofia medievale. Milano: Feltrinelli, 1968.

 



 


Palavras-chave


Dante. Línguagem. Política. De vulgari eloquentia. Convivio. Commedia.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.14393/REVEDFIL.issn.0102-6801.v31n62a2017-p1089a1109

Direitos autorais 2017 Rocco Lacorte

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

   


Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

ISSN Impresso: 0102-6801  e  ISSN Eletrônico: 1982-596X

Revista Qualis A2 em Educação e  B1 em Filosofia, ano base de 2015.

Associada às bases de dados: Repertoire Bibliographique dela Philosophie, The Philosopher’s Index, CIAFIC, SHS/DC, IRESIE, LATINDEX,  Refdoc, Biblioteca Brasileira de Educação, Sumários de Revistas Brasileiras, DIADORIM, EDUC@, PhilPapers Journal.

  

 

A Revista Educação e Filosofia está vinculada a: 

 

Atribuição de Registro DOI: