Aprendizagem escolar e formação ética: uma abordagem retórica

  • Renato José de Oliveira Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)
Palavras-chave: Filosofia Regressiva. Problematologia. Formação

Resumo

* Doutor em Educação pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC/RJ). Professor Titular de Filosofia da Educação da Faculdade de Educação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Aprendizagem escolar e formação ética: uma abordagem retórica

Resumo: Com base em Chaïm Perelman e em Michel Meyer, autores cujos estudos se vinculam ao campo da retórica, este artigo focaliza principalmente os conceitos de filosofia regressiva (Perelman, 1997) e de diferença problematológica (Meyer, 2000). A filosofia regressiva critica os pontos de referência absolutos (ontológicos, epistemológicos ou axiológicos) característicos de um modo de pensar filosoficamente denominado "filosofias primeiras". A diferença problematológica mostra que, entre as questões formuladas sobre um problema e as respostas fornecidas para solucioná-lo, é possível vislumbrar regiões de incerteza que remetem a novas questões. Tendo em vista a educação escolar desenvolvida nos níveis fundamental e médio de ensino, tanto no que se refere à aprendizagem quanto à formação ética, as duas abordagens fornecem subsídios para se refletir sobre as disciplinas que compõem o currículo e também sobre o conjunto de normas, valores e formas de comportamento que balizam as práticas pedagógicas.

Palavras-chave: Filosofia Regressiva. Problematologia. Formação Ética. Aprendizagem.

School learning and ethical formation: a rhetorical approach

Abstract: Based on Chaïm Perelman and Michel Meyer, authors whose studies link to the field of rhetoric, this article mainly focuses on the concepts of regressive philosophy (Perelman, 1997) and of problematologic difference (Meyer, 2000). The regressive philosophy criticizes the absolute reference points (ontological, epistemological or axiological) characteristic of a way of thinking philosophically called "first philosophies". The problematologic difference shows that, among the questions raised about a problem and the responses provided to address, it is possible to envision regions of uncertainty which refer to new issues. With regard to school education developed in the primary and secondary levels of education, both concerning to learning and to ethical formation, the two approaches provide allowances to reflect about the disciplines that make up the curriculum and also on the set of norms, values and forms of behaviour affecting pedagogical practices.

Keywords: Regressive Philosophy. Problematology. Ethical Formation. Learning.

L'apprentissage scolaire et formation en éthique: une approche rhétorique

Résumé: Basé sur Chaïm Perelman et Michel Meyer, auteurs dont les travaux sont liés au domaine de la rhétorique, cet article se concentre principalement sur les concepts de la philosophie régressive (Perelman, 1997) et de différence problématologique (Meyer, 2000). La philosophie régressive critique les points de référence absolues (ontologiques, épistémologiques ou axiologiques) propes d'un mode de pensée philosophique appelée « philosophie première ». La différence problématologique montre que, parmi les questions soulevées au sujet d'un problème et les réponses fournies pour le résoudre, il est possible d'envisager des régions de l'incertitude qui qui permettent de formuler de nouvelles questions. Prenant en considération l'éducation qui est enseignée aux niveaux primaire et secondaire de l'enseignement tant en ce qui concerne l'apprentissage quant à la formation en éthique, les deux approches offrent des éléments pour réfléchir sur les disciplines qui composent le programme d'études ainsi que sur l'ensemble des normes, des valeurs et des comportements qui affectent les pratiques pédagogiques.

Mots-clés: Philosophie régressive. Problématologie. Formation en éthique. Apprentissage.

Data de registro: 31/10/2015

Data de aceite: 23/03/2016

Referências:

ARISTÓTELES. Tópicos. Tradução de Leonel Vallandro e Gerd Borheim. 2. ed. São Paulo: Abril Cultural, 1983 (Os Pensadores).

______. Rhétorique. Paris: Librairie Générale Française, 1991.

______. Ética a Nicômaco. Tradução de Mário da Gama Kury. 2. ed. Brasília: Universidade de Brasília, 1992.

BARELLA, J. E. Com medo dos alunos - provocado pela indisciplina na sala de aula, um distúrbio se alastra entre os professores: a fobia escolar. Veja, Educação, ano 38, n. 19, maio, 2005, p. 62-66.

BAUMAN, Z. O mal-estar da pós-modernidade. Tradução de Mauro Gama e Cláudia Martinelli Gama. Rio de Janeiro: Zahar, 1998.

BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais: terceiro e quarto ciclos. Secretaria de Educação Fundamental. Apresentação dos temas transversais. Brasília: MEC/SEF, 1998.

CHARLES, S. O individualismo paradoxal: introdução ao pensamento de Gilles Lipovetsky. In: LIPOVETSKY, G. Os tempos hipermodernos. Tradução de Mário Vilela. São Paulo: Barcarolla, 2004. p. 13-48.

CÃCERO, M. T. Retórica a Herênio. Tradução de Ana Paula Celestino Faria e Adriana Seabra. São Paulo: Hedra, 2005.

DEBARDIEUX, E.; BLAYA, C. (Org.). Violência nas escolas e políticas públicas. Tradução de Patrícia Zimbres. Brasília: UNESCO, 2002.

DEWEY, J. Interesse e esforço. Tradução de Anísio Teixeira. São Paulo: Abril Cultural, 1980 (Os Pensadores).

FORBES, J. Mundo mutante, século XXI: as identidades em crise. In: FORBES, J.; REALE JÚNIOR, M.; FERRAZ JÚNIOR, T. S. (Org.). A invenção do futuro. Barueri: Manole, 2005. p. 3-20.

LEMGRUBER, M. S.; OLIVEIRA, R. J. (Org.). Teoria da argumentação e educação. Juiz de Fora: UFJF, 2011.

MAFFESOLI, M. A sombra de Dioniso. Tradução de Rogério de Almeida. 2. edição. São Paulo: Zouk, 2005.

MAZZOTTI, T. B.; OLIVEIRA, R. J. Ciência(s) da educação. Rio de Janeiro: DP&A, 2000.

MEYER, M. A problematologia. Tradução de Sandra Fitas. Lisboa: Dom Quixote, 1991.

______. Questões de retórica, linguagem, razão e sedução. Tradução de António Hall. Lisboa: Edições Setenta, 1998.

______. Petite métaphysique de la différence. Paris: Librairie Générale Française, 2000.

______. A problematologia como chave da retórica. In: MEYER, M.; CARRILHO, M. M.; TIMMERMANS, B. História da retórica. Tradução de Maria Manuel Berjano. Lisboa: Temas e Debates, 2002. p. 265 - 301.

PERELMAN, C. L´empire rhétorique. Paris: Vrin, 1988.

______. Retóricas. Tradução de Maria Ermantina Galvão Pereira. São Paulo: Martins Fontes, 1997.

PERELMAN, C.; OLBRECHTS-TYTECA, L. Tratado da argumentação: a nova retórica. Tradução de Maria Ermantina Galvão Pereira. São Paulo: Martins Fontes, 2005.

PLATÃO. Fedro. In: PLATÃO. Diálogos socráticos. v. 3. Tradução de Edson Bini. São Paulo: EDIPRO, 2008. p. 31-110.

SEGAL, R. L. Violência escolar: perspectivas contemporâneas. Rio de Janeiro: Letra Capital, 2014.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Renato José de Oliveira, Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)
Doutor em Educação pela Pontifícia Universidade Católica  do Rio de Janeiro (PUC/RJ). Professor Titular de Filosofia da Educação da Faculdade de Educação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).
Publicado
2016-11-29
Como Citar
Oliveira, R. J. de. (2016). Aprendizagem escolar e formação ética: uma abordagem retórica. EDUCAÇÃO E FILOSOFIA, 30(2016ESP), 289-312. https://doi.org/10.14393/REVEDFIL.issn.0102-6801.v30nEspeciala2016-p289a312
Seção
Dossiê Retórica e Educação