Teatro de Arena de São Paulo: reflexões sobre política, arte e formação

  • Ana Maria Said Universidade Federal de Uberlândia (UFU)
Palavras-chave: Arte, Política, Educação

Resumo

*Doutora em Educação, na área Educação, Sociedade, Política e Cultura pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Professora na linha de Filosofia Política do no programa de pós-graduação do Instituto de Filosofia da Universidade Federal de Uberlândia (UFU).

[1] Parte deste texto foi publicado no livro eletrônico dos anais do XVII Taller Internacional Nueva Ciência Política, na Universidad de la Habana, em Cuba, em 2014.

Teatro de Arena de São Paulo: reflexões sobre política, arte e formação

Resumo: Pretendemos neste texto analisar o projeto político-pedagógico do Teatro de Arena de São Paulo (1955 – 1972) que nos incita a refletir sobre a relação entre política, arte e formação humana. Nesse sentido analisaremos o alcance de sua obra e de suas críticas político-sociais dentro do contexto histórico e ideológico em que se formou e atuou o Teatro de Arena de São Paulo. Estudaremos a obra do Arena, dentro do quadro de efervescência cultural e política de final dos anos 1950 e década de 1960, e da resistência ao período obscuro da ditadura militar no Brasil. Para que possamos fazê-lo, a análise da influência isebiana com a questão da conscientização, incluindo a obra de Paulo Freire, torna-se fundamental.
Palavras-chave: Arte. Política. Educação.

The Arena Theatre of São Paulo: reflections about politics art and formation

Abstract: In this text, the intention is to analyse the political-pedagogic project of the Arena Theatre of São Paulo (1955-1972), which incites us to reflect about the relationship between the politics, arts and human formation. We will analyse the reach of its work and social- political criticism inside the historical and ideological contest that has formed and acted the Arena Theatre of São Paulo. We will study the work of the Arena, inside the cultural and political effervescence picture in the end of the 1950’s and the decade of 1960’s, including the resistance of the obscure time of the military dictatorship in Brazil. In order to do this, the analysis of the Isebian influence on the question of awereness, including the work of Paulo Freire, has become essential.
Keywords: Art. Politics. Education.

Teatro di Arena di San Paolo: riflessioni su politica, arte e formazione

Lo scopo di questo testo, è l’intenzione di analizzare il progetto politico-pedagogico del Teatro di Arena di San Paolo (1955-1972), che ci incita a riflettere sul rapporto tra la politica, le arti e la formazione umana. Analizzeremo la portata del suo lavoro e di critica politico-sociale all’interno del contesto storico e ideologico in cui si è formato e in che abbia agito il Teatro di Arena di San Paolo. Studieremo il lavoro dell’Arena, all’interno del quadro dell’ effervescenza culturale e politica dalla finedel 1950 e nel decennio del 1960, come resistenza al tempo oscuro della ditatura  militare in Brasile. Per poter farlo, l’analisi dell’influenza del ISEB sulla questione della consapevolezza, compreso il lavoro di Paulo Freire, è diventato essenziale.
Parole chiave: Arte. Politica. Educazione.

Data de registro: 08/09/2015

Data de aceite: 20/04/2016

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Maria Said, Universidade Federal de Uberlândia (UFU)

Doutora em Educação, na área Educação, Sociedade, Política e Cultura pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Professora na linha de Filosofia Política do no programa de pós-graduação do Instituto de Filosofia da Universidade Federal de Uberlândia (UFU).

Referências

BENJAMIN, Walter. Magia e técnica - arte e política. 3. ed., São Paulo: Brasiliense, 1987.

______. Rua de mão única. São Paulo: Brasiliense, 1987.

BERLINCK, Manuel T. CPC - UNE. Campinas: Papirus, 1984.

BOAL, Augusto. 2000 exercícios e jogos para o ator e o não ator com vontade de dizer algo através do teatro. 4. ed., São Paulo: Civilização Brasileira, 1982.

______. Teatro do oprimido e outras poéticas políticas. 2. ed. São Paulo: Civilização Brasileira, 1980.

______; GUARNIERI, Gianfrancesco. Arena conta Tiradentes. São Paulo: Sagarana, 1967.

______. Arena conta Zumbi. São Paulo: Teatro Arena, 1965.

BOSI, Ecléa. Memória e sociedade: lembrança de velho. 2. ed., São Paulo: EDUSP, 1987.

BRECHT, Bertolt et al. Arte e sociedad. Buenos Aires: Caldén, 1979.

______. Cinco maneiras de dizer a verdade. São Paulo: Civilização Brasileira, s/d.

______. Estudos sobre teatro. Rio de Janeiro: Nova fronteira, 1978.

CAMPOS, Cláudia de Arruda. Zumbi, Tiradentes (e outras histórias contadas pelo Teatro de Arena de São Paulo). São Paulo: USP, 1981.Mimeografado.

CANCLINI, Nestor Garcia. A produção simbólica: teoria e metodologia em sociologia da arte. São Paulo: Civilização Brasileira, 1979.

______. A socialização da arte. São Paulo: Cultrix, 1980.

CANDIDO, Antonio. Literatura e sociedade. 6. ed. São Paulo: Companhia Editora nacional, 1980.

CHAUÍ, Marilena; FRANCO, Maria Sylvia Carvalho. Ideologia e mobilização popular. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1978.

CARDOSO, Mirian Limoeiro. Ideologia do desenvolvimento: Brasil: JK - JQ. 2. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1978.

DE DECCA, Edgar. O silêncio dos vencidos. São Paulo: Brasiliense, 1981.

ESSLIN, Martin. Brecht: dos males, o menor. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1979.

FISCHER, Ernst. A necessidade da arte. 9. ed. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1963. Os anos 70. Folha de S. Paulo. São Paulo, 11 nov. 1979. Caderno Folhetim.

FREIRE, Paulo. Ação cultural para a liberdade - e outros escritos. 7. ed. São Paulo: Paz e Terra, 1984.

______. Educação como prática da liberdade. 12. ed. São Paulo: Paz e Terra, 1981.

______. Extensão ou comunicação? Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1967.

______. Pedagogia do oprimido. 7. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1979.

GOLDFEDER, Sonia. Teatro de Arena e Teatro Oficina: o político e o revolucionário. Campinas: UNICAMP, 1977. Mimeografado.

GOLDMANN, Lucien. Crítica e dogmatismo na cultura moderna. Rio de Janeiro, 1973.

______. Dialética e cultura. 2. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1979.

GORENDER, Jacob. Combate nas trevas - A esquerda brasileira: das ilusões à luta armada. 3. ed. São Paulo: Ática, 1987.

GRAMSCI, Antonio. Quaderni, 2. ed., Torino: Giulio Einaudi Ed., 1975.

GUARNIERI, Gianfrancesco. Eles não usam black-tie. 2. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1983.

GUIMARÃES, Carmelinda Soares. O teatro de Oduvaldo Vianna Filho. São Paulo: USP, 1982. Mimeografado.

GUZIK, Alberto. TBC: Crônica de um sonho. São Paulo: Perspectiva, 1986.

HAUSER, Arnold. A arte e a sociedade. Lisboa: Editorial Presença, 1984.

HOLLANDA, Heloísa B. de; GONÇALVES, Marcos A. Cultura e participação nos anos 60. Coleção Tudo é História. São Paulo: Brasiliense, 1982.

IANNI, Octávio. Revolução e cultura. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1983.

______. O colapso do populismo no Brasil. 4. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1978.

KOSIK, Karel. Dialética do concreto. 3. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1976.

LUKÁCS, Georg. Ensaios sobre literatura. 2. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1968.

______. Introdução a uma estética marxista. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1970.

MAGALDI, Sábato; VARGAS, Maria Tereza. Cem anos do teatro em São Paulo. O Estado de São Paulo. São Paulo, 17/01/76.

______. Um palco brasileiro: o Arena de São Paulo. Coleção Tudo é História. São Paulo: Brasiliense, 1984.

MARX, Karl. Manuscritos econômicos e filosóficos de 1844. Coleção Os Pensadores, 1932.

______. Manifesto do partido comunista. São Paulo: Global Editora, 1981.

______. Contribuição para a crítica da economia política. Lisboa: Estampa, 1973.

______. ENGELS. Sobre literatura e arte. 2. ed. São Paulo: Global Editora, 1980.

MICHALSKI, Yan. O teatro sob pressão. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 1985.

MOSTAÇO, Edélcio. Teatro e política: Oficina e Opinião. São Paulo: Proposta Editorial, 1982.

MOTTA, Carlos Guilherme. Ideologia da cultura brasileira. 4. ed. São Paulo: Ática, 1980.

ORTIZ, Renato. Cultura brasileira & identidade nacional. São Paulo: Brasiliense, 1985.

Publicado
2017-04-30
Como Citar
Said, A. M. (2017). Teatro de Arena de São Paulo: reflexões sobre política, arte e formação. EDUCAÇÃO E FILOSOFIA, 31(61), 539-588. https://doi.org/10.14393/REVEDFIL.issn.0102-6801.v31n61a2017-p539a588
Seção
Artigos